Banner topo – Rede Brasil Aluguel de Carros Banner ZapNet – Topo Banner topo – Estado Piauí
Rede Brasil

Piauí terá mais de R$ 3 bilhões em investimentos do programa Avançar Cidades

O programa prevê iniciativas nas áreas de saneamento básico e mobilidade urbana nos 224 municípios.

em 06 de outubro de 2017

(Foto: ASCOM)

O governador Wellington Dias lançou, nesta sexta-feira (06), na Associação Piauiense de Municípios (APPM), o programa Avançar Cidades – Mobilidade e Saneamento, do governo federal. No Piauí, o programa prevê iniciativas para as áreas de saneamento básico e mobilidade urbana nos 224 municípios. O investimento inicial no estado será de mais de R$ 3 bilhões, definido de acordo com a capacidade de endividamento de cada cidade.

“O governo federal lançou essa política pública com o intuito de tratar de questões básicas como drenagem, calçamento e iluminação. É um crédito para ser pago em 20 anos, com 4 anos de carência. Ou seja, é uma grande oportunidade para os municípios”, destacou o governador.

Os municípios interessados devem fazer o preenchimento das cartas-consultas, apresentar o projeto para a Caixa Econômica e esperar a seleção para o recebimento da verba. “O papel da caixa como agente financeiro desse projeto é de sensibilizar os gestores municipais para que eles busquem os investimentos e façam as melhorias nas cidades. A Caixa vai analisar os valores e apoiar as medidas necessárias para que esse dinheiro seja usado corretamente”, afirma o superintendente da Caixa Econômica, Elizomar Guimarães.

Os municípios com menos de 20 mil habitantes poderão adquirir até R$ 5 milhões e os com mais de 20 mil habitantes, até R$ 15 milhões. “Já temos12 municípios avaliados, com capacidade de investimento e agora estamos trabalhando para organizar os cadastros das demais cidades. Com isso, será possível que  importantes melhorias aconteçam na estrutura das regiões e na vida dos cidadãos”, comenta Gil Carlos, presidente da APPM.

Em todo o país, serão investidos recursos na ordem R$ 20 bilhões. Os recursos são provenientes do FGTS e BNDES, sob a gestão da Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades.

ASCOM/Lorenna Costa

Nenhum comentário.

Deixe um comentário

Seu email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados *

*