Banner topo – Rede Brasil Aluguel de Carros Banner Topo -Virtex Telecom Banner topo – Armazém do povo BAnner Governo do Estado
Rede Brasil

Preços do gado devem subir com mais força no último bimestre do ano, avalia Safras

em 23 de outubro de 2020

bois no pasto

Os preços do boi gordo ficaram de estáveis a mais altos nesta quinta-feira, 22, no mercado físico brasileiro. Segundo o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, o ambiente de negócios segue apontando para a continuidade do movimento de alta. “Mesmo a incidência de contratos a termo e a utilização de confinamento próprio não têm conseguido alterar a curva dos preços”, destaca.

A disputa pelos animais que cumprem os requisitos de exportação com destino ao mercado chinês segue acirrada, ainda carregando um ágio de R$ 5 a R$ 10 por arroba, conforme a região do país. “Para o último bimestre a tendência é de um movimento de alta ainda mais consistente, mantendo a conjuntura de oferta restrita, somada a uma demanda aquecida, com ênfase nas exportações”, assinala Iglesias.

Em São Paulo, Capital, os preços do mercado à vista ficaram em R$ 269 – R$ 270 a arroba, contra R$ 267 a arroba na quarta-feira, 21. Em Uberaba, Minas Gerais, os preços ficaram em R$ 264 a arroba, inalterados. Em Dourados, no Mato Grosso do Sul, os valores chegaram a R$ 261 a arroba, estáveis. Em Goiânia, Goiás, o preço indicado foi de R$ 254 – R$ 255 a arroba, contra R$ 254. Já em Cuiabá, no Mato Grosso, a cotação foi de R$ 249 a arroba, estável.

Atacado

No mercado atacadista, os preços da carne bovina continuam firmes. De acordo com Iglesias, o viés é de altas mais agressivas na primeira quinzena de novembro, com a entrada da massa salarial na economia impulsionando a reposição entre atacado e varejo. As exportações seguem em bom nível desde o início do ano, e devem continuar fortes ao longo do último bimestre, ajudando a enxugar a oferta doméstica de carne bovina.

Com isso, a ponta de agulha seguiu em R$ 14,30 por quilo. O corte dianteiro seguiu em R$ 14,35 o quilo, e o corte traseiro continuou em R$ 19,50 o quilo.

Câmbio

O dólar comercial encerrou a sessão em queda de 0,37%, sendo negociado a R$ 5,5950 para venda e a R$ 5,5930 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,5640 e a máxima de R$ 5,6270.


Fonte: Canal Rural

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados para esta matéria.