Banner ZapNet – Topo Banner topo – Rede Brasil Aluguel de Carros Banner topo – Estado Piauí
Rede Brasil

MPF investiga fraudes nos pagamentos do Bolsa Família no Piauí

A principal suspeita é sobre servidores públicos que não se encaixariam no perfil do programa.

em 09 de outubro de 2017

(Foto: Reprodução)

Ministério Público Federal (MPF) investiga possíveis fraudes no programa em Teresina e no interior do Piauí. Servidores públicos estariam recebendo o benefício de forma irregular enquanto quem precisa teve o benefício cortado. Somente em Teresina 53 mil famílias são beneficiadas pelo programa Bolsa Família, representando R$ 9 milhões pagos em benefícios.

Para compreender mais sobre o corte do benefício e o destino dos recursos o MPF faz uma investigação envolvendo os pagamentos de beneficiários do programa.

“No Piauí há um índice de 3,8%. Ou seja, de 100 benefícios pagos, quase quatro tem indicativo muito forte de fraude. O Ministério Público precisa atuar para reprimir esse tipo de fraude para que o recurso do Bolsa Família vá para uma família que realmente precise, para que o programa do Bolsa Família continue a existir no Brasil ”, disse o procurador da República, Tranvanvan Feitosa.

A principal suspeita é que servidores públicos, fora do perfil atendido pelo programa, estejam recebendo recursos. “Há um indicativo muito forte que o perfil de renda dessas famílias não preencha os requisitos do Bolsa Família. São servidores públicos que a princípio, se é um servidor público tem uma renda incompatível com o programa”, pontuou o procurador.

A investigação também tem apoio da população. “Deveria ter uma investigação mais rigorosa porque tem muitas famílias que não recebem. Tem famílias que precisam realmente e que ajuda muito. Para mim ajuda muito”, reforçou a dona de casa Indira Lima.

Maria Jaine Lopes é uma das beneficiárias que teve o Bolsa Família cortado. “Quando a gente usava ele comprava as coisas para dentro de casa, como alimentos e algum material de limpeza. Faz falta porque a gente não está mais usando esse dinheiro que era pouco mais servia”, conta a mulher que trabalha como babá.

G1 PI

Nenhum comentário.

Deixe um comentário

Seu email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados *

*