Banner Topo -Virtex Telecom Banner topo – Rede Brasil Aluguel de Carros
Rede Brasil

APPM diz que 15% dos municípios do Piauí têm dificuldade de pagar 13º

em 07 de dezembro de 2018

Foto: Reprodução/ TV Cidade Verde

O presidente da Associação Piauiense de Municípios (APPM), prefeito Gil Carlos, declarou nesta quinta-feira (6), que cerca de 15% dos prefeitos do Piauí terão dificuldade de cumprir a tabela de pagamento do 13º salário nos seus municípios. Gil Carlos afirmou também que amanhã todas as prefeituras receberão 1% a mais do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), que deverá auxiliar no pagamento das despesas de pessoal, sobretudo com relação ao 13º.

“Em torno de 15% das cidades do Piauí têm dificuldades hoje de pagar o 13º, não pagaram ainda a primeira parcela, que é a prática dos outros 85% e provavelmente terão dificuldade de pagar o todo agora no final do ano”, disse o prefeito em entrevista ao Jornal do Piauí de hoje.

Ele acrescentou: “Em dezembro, agora no dia 7, amanhã, haverá um dinheiro que é a mais para os municípios, que é 1% a mais de FPM, que foi uma conquista do movimento municipalista nacional, que garantiu que eles tenham direito a esse adicional exatamente para fazer frente a essa despesa do 13º salário”.

De acordo com Gil Carlos, um levantamento da Associação mostra que 85% das prefeituras pagam metade do 13º no mês de aniversário do servidor, e que por esse motivo, a situação nessas cidades é melhor.  “Ainda assim, fizemos um levantamento aqui na APPM, ouvimos os 224 municípios e felizmente eles tem uma prática de pagar o 13º no mês de aniversário do servidor, e hoje 85% dos municípios já pagaram a metade do 13º. Estamos na expectativa de que consigam honrar com a outra parcela restante agora em dezembro.

O presidente lembrou ainda que atualmente há uma defasagem grande se comparados os repasses do FPM com a inflação praticada. “Hoje o que as pessoas estão recebendo são os mesmos valores nominais que receberam em 2013, há cinco anos, porém, a inflação nesse período beira os 40%, então esse dinheiro vale hoje menos 40% do que ele valia em 2013. Isso por si só explica a dificuldade dos municípios em manter as despesas fixas, entre elas a mais importante a de pessoal”.

Fonte: Cidade Verde

Nenhum comentário.

Deixe um comentário

Seu email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados *

*