Banner topo – Rede Brasil Aluguel de Carros Banner Topo -Virtex Telecom
Rede Brasil

Levantamento mostra o nível de água de Piaus e das principais barragens do Piauí; confira

em 05 de dezembro de 2018

Levantamento mostra o nível de água de Piaus e das principais barragens do Piauí

Apesar do período chuvoso no Piauí estar apenas começando, em muitos municípios os níveis acumulados nas barragens já são considerados altos. E se em tempo de seca reservatórios cheios representam tranquilidade, as cheias em época de chuva causam preocupação diante da iminência de extravasamento das águas.

Na madrugada desta terça-feira (04/12), as chuvas causaram muitos transtornos à população em cidades como Jacobina do Piauí, após o rompimento da Barragem do Padre, deixando diversos bairros alagados.

Segundo dados do Sistema de Acompanhamento de Reservatórios (SAR) da Agência Nacional de Águas (ANA), ainda no mês de novembro, das 25 barragens do estado, pelo menos oito apresentavam níveis próximo de 80% da capacidade, três delas estão no município de Piripiri. A barragem Pé de Serra é a que tem o índice mais próximo, com 88,89% da sua capacidade.

Outros reservatórios, como Jenipapo (São João do Piauí), Nonato (Dom Inocêncio) e Pedra Redonda (Conceição do Canindé), seguem a tendência de cheia, com 84,01%, 79,81% e 74,07%, respectivamente.

Dados do Sistema de Acompanhamento de Reservatórios (SAR)/ANA     

Em contraponto, outras 8 barragens tinham níveis abaixo de 30% no mesmo período. A situação era mais alarmante em Algodões I (Cocal) e Fátima (Picos), com nível 0, Cajazeiras (Pio IX), com 1,26% e Barreiras (Fronteiras), com 1,5% da capacidade.

Dados do Sistema de Acompanhamento de Reservatórios (SAR)/ANA     

Conservação dos reservatórios

Nesta segunda-feira (03), o senador Elmano Férrer (Podemos) realizou uma audiência pública para tratar sobre a segurança das barragens no estado, no auditório da Federação das Indústrias do Estado do Piauí (FIEPI).

Na ocasião, o parlamentar disse que 6 reservatórios precisavam de manutenção. Mas o maior problema para o andamento destas obras está na falta de recursos destinados, segundo o presidente do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS), Ângelo José Guerra.

O governador Wellington Dias também esteve em audiência com o presidente do órgão e tratou sobre a manutenção de barragens. As obras nos reservatórios Ingazeiras em Paulistana, Barreiras em Fronteiras, Cajazeiras em Pio IX, e da barragem de Bocaina foram licitadas e devem ser realizadas ainda no mês de dezembro e que encaminhamentos estão sendo tomado para a recuperação de outras barragens.

Fonte: 180graus

Nenhum comentário.

Deixe um comentário

Seu email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados *

*