Banner Topo -Virtex Telecom Banner topo – Rede Brasil Aluguel de Carros
Rede Brasil

Estudante de Jornalismo é encontrada pela Polícia, mas não dá explicações do que aconteceu

em 13 de Fevereiro de 2018

Patrícia Andrade estava desaparecida há mais de uma semana (Foto: Facebook)

A estudante de jornalismo Patrícia Andrade, 30 anos, retornou para os braços da família nesta segunda-feira (12/02), após ser dada como desaparecida para a Polícia.

Sua família passou oito dias sem saber o seu paradeiro. A jovem havia saído de casa no dia 4 de fevereiro, onde mora com a tia, no Bairro São João, zona leste de Teresina. Desde então, a família não conseguia entrar em contato e acionou a Polícia para encontrá-la.

De acordo com Maria José Andrade, mãe da estudante, em entrevista por telefone ao OitoMeia, Patrícia foi encontrada em uma casa no próprio Bairro São João e está em fase de recuperação. Quanto ao motivo do desaparecimento ou detalhes do encontro, ela preferiu não revelar.

“A Patrícia foi encontrada em uma casa aqui no bairro São João, mas agora está bem. Não quero entrar em detalhes sobre o que aconteceu. Mas estamos muito felizes e aliviados que ela está de volta, viva e vai ficar bem”, disse.

A família fez um boletim de ocorrência no 5° DP sobre o desaparecimento, mas sem retorno imediato por parte da polícia. Assim, parentes e amigos investigaram por conta própria, visitando hospitais e até o Instituto Médico Legal (IML) na esperança de reencontrá-la. Em nota enviada à imprensa, a Polícia informou que Patrícia Andrade vai ser chamada esta semana para prestar esclarecimentos. A mãe da estudante diz que a filha vai fazer isso após recuperação.

“Nesse momento, ela não está em condições físicas e psicológicas de falar. Ela não voltou sozinha, foi encontrada pelo pessoal do Distrito Policial. Depois que ela se recuperar, acredito que futuramente vai poder conversar sobre o assunto”, explicou.

ENTENDA O CASO
No domingo (04/02), Patrícia Andrade, 30 anos, desapareceu após sair de casa, no Bairro São João, zona leste de Teresina. No dia seguinte, observou-se através de câmeras de segurança, a saída da estudante à pé.

A família tentou entrar em contato várias vezes, mas o celular estava desligado. Após não retornar para casa e os amigos não saberem para onde ela foi, um boletim de ocorrência foi registrado para investigar o paradeiro da estudante.

De acordo com a mãe, a filha não havia demonstrado nenhum indício de problemas pessoais ou psicológicos. Ela apenas saiu sozinha e não voltou mais. As buscas mobilizaram as redes sociais e correntes circularam com o objetivo de divulgar e obter informações sobre a estudante. Foram oito dias de angústia até o reencontro.

Oito Meia

Nenhum comentário.

Deixe um comentário

Seu email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados *

*